Blog de estilo, com estilo: a cereja do champagne.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Através do espelho

Não me refiro à Alice, nem ao País das Maravilhas. É mais para O Mundo de Sofia. No último final-de-semana, li Através do Espelho, de Jostein Gaarder, mesmo autor do livro da Sofia e, ao contrário deste, consegui ir até o final da leitura. Não foi menos chato nem mais interessante que O Mundo de Sofia. Na verdade, tão chato quanto.

A história em si é bem interessante, mas não consigo gostar do jeito como Jostein Gaarder desenvolve a narrativa: ela termina sendo muito, muito entediante. O livro, mas a experiência de lê-lo, não exatamente. Ele me deixou com algumas ideias em mente desde a primeira página, e eu realmente gostaria de transcrever um trecho aqui, um dos que não consigo esquecer:

"Os átomos que compõem o seu cérebro vieram do fogo das estrelas. Mas depois eles se agruparam de uma maneira extraordinária e se transformaram nisso que vocês, seres humanos, chamam de 'consciência'."


Há algum tempo atrás, li uma frase parecida de um físico norte-americano (talvez por isso não consiga esquecer nenhuma das duas, nem a do físico, nem a do livro): somos poeira de estrelas. Parece mágico, não parece? Mais um motivo para todos nós brilharmos.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

La Garçonne

Já me declarei para o estilo boyish nesse post, e se vocês passearem pela tag polyvore (é, preciso de um nome melhor para ela, mas esse meio que diz tudo: são os looks/montagem semanais), vão ver um pouquinho desse amor. E é por causa dele que trago pra vocês o link de uma das lojas online mais fofas que já encontrei pela internet: a La Garçonne.

Sabe quando você se encontra numa loja? Mas não daqueles encontros casuais. É algo mais "conversa à tarde com a companhia de cupcakes". Eu me encontrei nessa loja. Tanto é que eu, que não sou muito de postar lojas e afins, vim correndo mostrá-la pra vocês! Se curtem o estilo boyish, vão amá-la. Se não... Acredito que vão gostar do mesmo jeito :)

Quando vejo essas modelos por aí de cabelos longos e desgrenhados, dá vontade de deixar o cabelo crescer.
Ah! As fotos são  do editorial da revista deles. É online! :)

Só não dá pra apaixonar pelos preços (e as bolsas! Alguém gostou delas?)  porque, né, não tá pra mim meesmo.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Vogue China / Novembro 2010



A Vogue China de novembro traz essa imagem de fashionista que sabe das coisas, abusa dos exageros, e sabe que orna. Amei o editorial exatamente pelas cores, texturas e tecidos diferentes em demasia, porque mais também é mais, tsá? :D

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Birkin: clássica, né.

Estamos em 1984, num vôo entre Paris e Londres. Jane Birkin, sempre com sua cesta de piquenique (já que outras bolsas não teriam o espaço suficiente), deixa cair alguns papéis de sua agenda. Um homem, sentado a seu lado, pergunta por que ela não usa algo mais para carregar suas coisas, e ela responde: "Quando a Hermès fabricar uma agenda com compartimentos, eu terei uma".

O homem era o então presidente da Hermès, e  ao se oferecer para colocar os bolsos na agenda dela, surge a ideia de criar uma bolsa maior e mais prática, feita sob medida para a vida da mulher moderna. Logo Jane foi chamada pela Hermès para conhecer a bolsa que se tornaria uma das mais cobiçadas do mundo: a Birkin Bag.

Jane Birkin e sua primeira - e única (!) - Birkin

Voltando a 2010, para conseguir uma Birkin, é preciso enfrentar uma loonga e concorrida lista de espera, que pode ser de até três anos, além de desembolsar uma quantia de aproximadamente 16 mil reais. Não é beeem a bolsa mais fácil de se conseguir, mas a dica do post anterior estava fácil, fácil.

Já que ninguém acertou o clássico dessa semana, a dica da semana que vem será diferente. Veja se vocês a vêem por aí. haha, alguém já sabe o que é?

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Cor de doce, caramelo e camelo

Dia das crianças. Doces. Cores de doce. Quer sequência mais óbvia? Sou fã assumida das candy colors, os tons pastéis queridinhos que prometem jogar os tons de fluo no poço do esquecimento. Só não digo que só quero ver tons de jujuba, cupcake e afins porque acredito que estamos em um país livre, e é muito chato passar de loja em loja e ver a mesma coisa, de novo e de novo. Além de entediante.

Claro que se as cores de doce andam em voga, já nos pedem pra visualizar saquinhos de algodão doce, pacotes de jujuba, e até montanhas de cupcakes, mas cadê o caramelo? Caramelo também é doce, logo, cor de caramelo também é cor de doce. Simples assim. Bom, mais ou menos. O problema do caramelo é que ele é, tecnicamente, bem específico: como as (belíssimas!) botas da foto ao lado. Elas são caramelo. O resto é camelo, hahah.

Caramelo é cor de caramelo, não acredito que chegue a ser um tom pastel (mais uma vez, tomem as botas como exemplo), mas que é cor de doce não se pode negar. Camelo é toda aquela gama de cores que lembram - como o próprio nome sugere -, o pelo dos camelos. Não é caramelo, é camelo.

O nome de bicho me causou estranheza no começo - é, causa até agora -, mas é um nome bem explicado: ele vem do camel coat, um tipo de mantô quentinho e confortável, feito de pelo de camelo. Não sou a favor de usarmos pelo (sou só eu ou o acento faz muuita falta?) de animais em nada. Mesmo. Mas a cor é linda; vê se não lembra aquelas "bolsas de vó" e sua aura meio retrô chique.

E fica a pergunta de fim de post: afinal, caramelo é cor de doce ou não? Oras, se cor de doce é tom pastel, chamem logo de tom pastel que descomplica tudo. Não é?.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Mas cadê meu presente?!


Por hoje, nada de listas de crianças mais estilosas, porque criança é criança, né. :) Um ótimo dia das crianças pra vocês, e aproveitem os doces (sem culpa!).

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Dos clássicos, os mais

Para mim, existe uma certa diferença entre clássicos da moda e peças coringa. Clássicos são específicos como o icônico perfume nº 5 da Chanel. As peças coringas, por sua vez, são aquelas que não precisam de uma marca, nome ou data, são clássicos à sua maneira, bem do jeito da nossa calça jeans, com todas as suas modelagens, lavagens e fabricantes.

E é ele mesmo, senhoras e senhores, o perfume mais famoso do mundo (e sua história), que dá continuidade ao post. O nº 5 da Chanel. Ele nasceu em 1921, e nasceu para ser um "perfume de mulher, com cheiro de mulher". Foi criado por Ernest Beaux, o quinto entre as seis fragâncias encomendadas pela mademoiselle Chanel.


Tudo o que cerca esse perfume está envolto em uma aura de elegância, desde o jasmim em sua composição até o time de modelos, fotógrafos e cineastas responsáveis pelas campanhas do perfume. Assim, ele não foi só a primeira fragância de grife, mas um símbolo de luxo e, com o tempo, o cheiro oficial da Chanel. A embalagem e a fórmula permanecem as mesmas até hoje, e o perfume continua sendo um símbolo para o mundo da moda.


Mas não é só de Chanel que vivem os clássicos. A lista é extensa, e semana que vem, trarei o próximo item. A dica está bem aqui do lado, quem consegue adivinhar o que é? O primeiro que adivinhar ganha um "parabéns!", hahah! Olha que tá fácil.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Boyish


Boyfriend jeans, oxford, coletes. A primavera vem com suas flores, mas o boyish continua, como sempre continuou, porque não é de agora que pegamos peças "emprestadas" do guarda-roupa masculino. Foi assim com o boyfriend jeans, o oxford e os coletes. Mas não só eles: ainda temos o corte joãozinho (oooi, Emma!), as calças de alfaiataria, as gravatas...

Uma infinidade de opções que, quando equilibradas com o resto da roupa, ganham um ar masculino, na medida certa. Vale misturar saltos e gravatas, vestidos e coletes, alfaiataria e pérolas, que aí o look fica harmonioso e descontraído, mas um descontraído chiquetoso, sabe?

não leve seu look muito a sério, brinque com os acessórios, faça uma composição despretensiosa, dê um toque pessoal, aproveite as alternativas da moda. E na dúvida, tudo ao mesmo tempo que mais também é mais. Mas esse é assunto pra outro post, né.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Sumiço

Faz mais de duas semanas desde minha última postagem, sobre o desfile Primavera-Verão da Anna Sui. Passaram-se uns booons dias, onde poderia ter postado sobre Fashion Weeks (e tudo o mais relacionado a elas: maquiagens, tecidos, cores, quaisquer modelos que possam ter tropeçado e afins), fluo e pastel, e mais um monte de coisas.

Então, perdoem meu sumiço (mas de novo?!), aproveitem o novo estilo do blog - que não mudou lá muita coisa, mas está mais a minha cara, sabe? E, por fim, podem esperar por mais posts, e enquanto eles não chegam, podem dar uma olhada nos Posts Antigos, que agora ficam aqui à direita.